Seguidores

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Pobreza desavergonhada

São raras as vezes que uso o meu blog como forma de desabafo mais intimo, mas hoje preciso mesmo de o fazer, até como forma de terapia pessoal.
Para quem não me conhece, à primeira vista posso parecer uma pessoa antipática, arrogante e até inalcançável, mas tudo isso se dicipa quando falam comigo, pelo menos é o que me dizem. Ora eu sou totalmente o contrário de tudo isso: sou uma pessoa extremamente sensivel, posso ser a melhor amiga que alguma vez tiveram, leal, divertida... enfim uma série de coisas.

Hoje, na minha ida semanal ao super mercado, à porta do Pingo Doce vi uma cara desconhecida: uma velhinha, de muletas, com uns oculos profundos, cheia de trapos e com umas sapatilhas estilo Vans calçadas. Como tenho grande respeito pela classe dos idosos, e um amor profundo por tudo aquilo que representam, decidi não ignorar a senhora (como nunca ignoro ninguem, ao contrário da maioria das pessoas que por ela passou e sempre desviou o olhar - ou seja, desviam o olhar de um problema sério que se está a acentuar na nossa sociedade.) O problema não são os idosos, o problema é mesmo a pobreza que por esta classe se abateu, e agora começa a sair à rua.

"Dá-me uma ajudinha menina?" "Diga meu amor, o que precisa?" A senhora não devia estar à espera desta resposta tão rápida e solidária, ainda por cima vindo de uma rapariga cheia de piercings e tatuagens... esses bixos estranhos da sociedade. Rapidamente me pus a pensar do que é que uma senhora doente precisaria na sua alimentação. Secalhar até fiz mal em comprar pêras, ou feijão verde, mas sei que acertei numa coisa, que foi a unica coisa que com um ar envergonhado me pediu: uns alhos.
Há meia hora que ali estava e a unica pessoa que a tinha atendido era eu. Ainda me prontifiquei a levar-lhe o saco a casa, pois estava pesado, continha peras, feijão verde, garrafa de água, alhos, leite e arroz. Mas não quis, disse-me muito baixinho "Ainda aqui vou ficar mais uns minutos..."

Foram os melhores 6E gastos na minha vida. Podiam ter sido para comprar uma revista, ou até poupar para uma paleta de sombras que tanto quero, mas para quê? Não me vale de nada, cada dia que passa me vale menos, enquanto houverem idosos com fome, e sem dinheiro.

Tenho tantos outros episódios deste genero para vos contar, que me corta o coração, pois é sinal que algo está mal entre nós. O mal chama-se Pobreza. Pobreza monetária e Pobreza de espirito, essas filhas da puta.

19 comentários:

  1. tu tens é um coração de ouro! também tenho muitos episodios desses gravados na memória!

    ResponderEliminar
  2. Agora emocionei-me com essa história. Nem sabes o quanto te admiro por teres feito isso!
    Ah grande mulher! És rara acredita. Qual é a diferença em comprar mais um baton ou um rimel quando há pessoas a morrer de fome?! Bravo.

    ResponderEliminar
  3. hayley, obrigado! é muito gratificante ajudar alguem que sabemos que necessita não é?

    You Are Always Beauty, atençao que nao critiquei quem compra maquilhagem ou outras coisas materiais - pq eu tambem as compro, mas nunca deixei de ajudar por causa disso. acredita que cheguei a casa e desatei a chorar em cima da cama... estas merdas mexem muito comigo :s**

    ResponderEliminar
  4. que acto tão lindo... eu também não gosto nada de ver pessoas pobres e com fome na rua e, sempre que posso, ajudo! :) algumas dessas pessoas davam óptimos filósofos, têm uma noção da vida completamente diferente de uma pessoa de uma "classe mais favorável" e eu acho isso impressionante.

    ResponderEliminar
  5. És uma pessoa com um coração maravilhoso. Dar de ti sem querer nada em troca, é de louvar, e agradeço-te imenso pelo que fizeste e por talvez assim conseguires inspirar mais pessoas.

    Infelizmente esta é a nossa realidade e por vezes não sabemos dintinguir quem pede mesmo com fome e quem por sua vez faz desta vida 'profissão',às vezes custa-me virar costas mas quando posso ajudar abro o meu coração. Já andei a distribuir comida nas ruas do Porto à noite, a falar com estas pessoas, a dar algum carinho,e meu Deus,sabe bem,dói que se farta ver certas coisas,pricipalmente quando nos chegam pais com crianças e a pedir alguma coisa para dar aos filhos logo no dia a seguir ao Natal,tal já me aconteceu,mas é uma gratificaçãi tão grande.

    ÉS UM SER HUMANO EXCEPCIONAL E INSPIRADOR!

    ResponderEliminar
  6. Ate me arrepiei .Orgulhu-me de ter sido educada com a generosidade do meu pai , que da o que tem e nao tem sempre que pode. cresceu pobre e felizmente ficou bem na vida e entao tenta sempre retribuir à vida e eu sigo o seu exemplo . sempre que posso dou esmola e assim , mesmo aos animais ajudo , doulhes agua e carne . Fico muito feliz por existir mais gente como eu e o meu pai . estou mtoorgulhosa de ti e não te conheço :) bjinho

    ResponderEliminar
  7. Por acaso não é o pingo doce na baixa, ao pé da rua do carmo, pois não? É que costuma estar lá à porta uma velhota, com um saco preto na mão, que tem filhos que se preocupam com ela e não querem que ande a pedir. Acho que ela não é boa da cabeça.
    Ainda assim, acho que fizeste muito bem,deste uma alegria à sra. de certeza!
    Já eu, só me cruzo com aldrabões fingidos que só querem $ para a droga. Bem, houve uma vez que fui comprar uma sandes de omelete para um sem-abrigo, e não é que ele disse que não queria porque depois ficava com sede?!? Vai-se lá entender...

    ResponderEliminar
  8. Acho, que fizeste extremamente bem em partilhar isto aqui, porque muita gente não abre os olhos para esta realidade. O que acho curioso nisto é que quem pode ajudar não ajuda e quem ajuda quem precisa, são pessoas que sabem o que isso dói e também vivem com necessidades. Quando se trata de comprar comida ou outros itens, não exito também, mas confesso que dinheiro não dou nunca.
    Parabéns pelo teu acto minha querida, beijinhos*

    ResponderEliminar
  9. Olá!

    São necessárias cada vez mais pessoas como tu!|

    Grande gesto!
    O que interessa não é o bem material, mas sim o que fazemos para contribuir uma vida melhor, aos outros, a quem precisa!

    Beijinhux

    E parabéns!!

    ResponderEliminar
  10. Realmente de hoje em dia é muito raro alguem fazer isso mas é bom ver que ainda há pessoas boas e foi realmente um grande gesto =)
    **

    ResponderEliminar
  11. Amei!
    Esses desabafos até são bons para nos chamarem á atenção de o quanto andamos distraidos connosco e abstraídos de uma realidade mais penosa.
    Que nunca te faça falta aquilo que aos outros dás.

    ResponderEliminar
  12. Acho que tiveste uma atitude de mérito. Estas situações não devem ser ignoradas. No Pingo Doce da minha zona costuma estar um idoso nas mesmas condições e sempre que posso tento comprar-lhe alguma coisa. Só tenho pena de não o puder fazer mais vezes. Apesar de este não ser o post típico do teu blogue acho que fizeste muito bem em publicá-lo. Mereces mérito pela tua bondade e consciência social :)
    *

    ResponderEliminar
  13. Se o mundo tivesse mais pessoas como tu, e não milhões que nem sequer querem saber se existe alguém que precise de ajuda,... o mundo era de certeza melhor, e tu minha querida serás recompensada pelo acto lindo que hoje tiveste!!!

    keep going!! O mundo precisa de pessoas assim :)

    Beijão

    ResponderEliminar
  14. também achei que tiveste uma atitude muito bonita... quando as pessoas pedem comida eu dou sim..mas quando só querem dinheiro, eu não dou porque o mais provável é ir para tudo menos para comida ou para os filhos..
    mas quando precisam de comida e eu poder dar, também gosto de ajudar

    ResponderEliminar
  15. gesto muito bonito :) fiquei emocionada.

    ResponderEliminar
  16. Era bom que houvesse mais pessoas como tu neste mundo que está cada vez mais pobre...de espírito :S bjinhos e parabéns pela atitude :)

    ResponderEliminar
  17. Este texto podia ser meu...
    Não consigo não ligar. Honestamente às vezes também desvio o olhar, mas apenas porque me faz confusão não puder ajudar e, não tendo trabalho, nem sempre posso dar. Mas custa... São as pessoas e os animais, ambos abandonados... Somos um país miserável, acima de tudo porque nos tornámos egoístas e orgulhosos. Porque já não sabemos o que é o espírito de entreajuda, o que é a compaixão pelo outro. Vemos os pobres como parasitas, porque não contribuem para a sociedade... mas a verdade é que ninguém lhes dá oportunidades.
    Já José Luís Peixoto dizia que as pessoas eram ridículas... numa sociedade ridícula, num país que perdeu o rumo há muito tempo por estar governado por gente ainda mais ridícula. Se repararmos não há ninguém agora nas campanhas eleitorais que fale no país. O mais importante é anular os outros partidos. Mas isto seria outra conversa...
    TRISTE. TRISTE E REVOLTANTE!

    ResponderEliminar

Poderá gostar de:

Related Posts with Thumbnails